PT de Foz decide ser oposição ao prefeito Chico Brasileiro

Fotos: Enrique Alliana / Tribuna Foz

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Foz do Iguaçu declarou oposição à administração do prefeito Chico Brasileiro (PSD). A decisão foi aprovada por 11 votos a 4, após um longo debate, na noite de terça-feira (14).

A decisão não inclui – formalmente, por enquanto – a obrigação dos membros da gestão a se decidirem entre os cargos a filiação. Mas cria uma situação contraditória para alguns petistas.

Importantes líderes do partido fazem parte do governo local, como André Alliana, membro do diretório e secretário de Turismo. Outro membro do diretório petista é Ian Vargas, diretor do Instituto de Habitação-FozHabita, órgão da prefeitura. 

Um ex-dirigente, o tesoureiro do partido, Jihad Abu Ali, ocupa a Diretoria de Assuntos Internacionais da Prefeitura e pediu sua desfiliação. Ainda há dois neo-petistas: o secretário de Transparência e Governança, Nilton Bobato, que recentemente se filiou ao PT e iniciou uma pré-campanha visando ser indicado como candidato a prefeito pelo PT; e Angela Meira, funcionária de carreira e secretária municipal do Meio Ambiente.

A decisão de rompimento formal com o governo de Chico Brasileiro teve a liderança destacada do sindicalista e ex-deputado federal Dilto Vitorassi, do ex-vereador Fernando Duso e do ex-secretário estadual Hamilton Serighelli.

Segundo fontes do PT e da política local, a disputa interna tem como pano de fundo as eleições de 2024, e é um importante passo para definir qual grupo petista irá comandar as discussões sobre alianças e a indicação do candidato a prefeito ou vice-prefeito.

O grupo derrotado até o momento promete reagir, inclusive apelando a instâncias superiores do PT, como o Diretório Estadual.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More